Cai a pressão dos custos sobre as micro e pequenas empresas, aponta pesquisa do Sebrae

Pela primeira vez na série histórica, levantamento indica que o aumento das despesas com o negócio deixou de ser a maior preocupação dos empreendedores

As medidas do governo federal para controle da inflação e recuperação da economia estão gerando resultados positivos para as micro e pequenas empresas. Pesquisa realizada pelo Sebrae em parceria com o IBGE mostra que, pela primeira vez da série histórica, o aumento dos custos deixou de ser a maior preocupação desses empreendedores e aponta uma queda no percentual de empresários que relataram alta nas suas despesas nos últimos 30 dias. A pesquisa ainda mostra um recuo de 10 pontos percentuais quando comparado com o levantamento feito no último mês de abril.
“Percebemos uma gradativa e consistente melhora nas condições gerais da economia brasileira. O dono do pequeno negócio já sente isso nos seus custos diretos com energia, combustíveis, entre outras despesas da empresa”, comenta o presidente do Sebrae Décio Lima.
“Apesar disso, os empreendedores ainda estão represando o aumento dos seus gastos ao consumidor para não perder vendas. O nível de endividamento das famílias ainda está reprimindo o consumo, mas acreditamos que o programa “Desenrola”, do governo federal, deve reativar a disposição dos brasileiros de voltarem a comprar, reaquecendo a economia”, acrescenta Décio Lima. De acordo com a pesquisa Pulso dos Pequenos Negócios, 32% dos donos de micro e pequenas empresas apontaram o aumento dos custos como principal dificuldade enfrentada no mês passado, o mesmo percentual de empreendedores que indicaram a falta de clientes como maior preocupação. Esse resultado é melhor do que o apresentado na pesquisa de abril (quando 38% estavam apreensivos com o aumento de despesas com energia, aluguel, combustível, matéria-prima, etc.) e 10 pontos percentuais abaixo do número identificado na pesquisa de agosto de 2022. Ainda segundo o levantamento, cerca de 7 em cada 10 empresários haviam identificado um encarecimento dos custos em julho, bem abaixo dos quase 80% em abril deste ano. Apesar dessa constatação, a pesquisa mostra que os donos de pequenos negócios resistem à possiblidade de repassar esse aumento para os seus clientes. Mais da metade dos empreendedores (51%) mantiveram seus preços e apenas 8% passaram adiante, na integralidade, o aumento das despesas para seus clientes. Principais números da pesquisa
  • Quase 7 em cada 10 pequenos negócios relataram aumento dos custos nos últimos 30 dias.
  • O Resultado é 10 pontos percentuais abaixo do encontrado em Abril, quando cerca de 80% das MPE acusavam aumento de despesas.
  • Apenas 8% das micro e pequenas empresas conseguiram repassar integralmente esses aumentos para os clientes.
  • Para 32% dos empreendedores o aumento dos custos foi a principal dificuldade registrada em julho, contra 38% em abril.
  • O percentual é o mesmo de empresários que apontaram a falta de clientes como maior problema (32%).
por Sebrae