MPE: mercado avança e setor é o que gera mais emprego

O ano de 2022 ainda não acabou, mas o Brasil já acumula 2,320 milhões de novos postos de trabalho. As Micro e Pequenas Empresas (MPE) foram as grandes geradoras de emprego com 1,661 milhão (71,6%) novas contratações.

A participação das médias e grandes na geração de empregos é de 22% com 513 mil contratações. Esses são os dados mais recentes apresentados pelo Sebrae. O órgão tem como base os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged. De cada 10 empregos, 8 foram gerados pelas MPEs.

Imagem por @andrewminsk123 / freepik

Esse é o décimo mês seguido que as MPEs se sobressaem na geração de empregos. É bom lembrar que as microempresas são aquelas cujo faturamento não ultrapassa R$ 360 mil, e empresas de pequeno porte, com caixa entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões.

Portanto, o mercado vai muito bem das pernas e a tendência é melhorar cada vez mais.

Abertura de empregos

Apenas as micro e pequenas empresas apresentaram saldo positivo em todos. As médias e grandes empresas apresentaram saldo negativo na Construção Civil e na Extrativa Mineral.

No setor de Serviços, o saldo de contratações dos pequenos negócios foi de 60,2 mil, mais do que o dobro das médias e grandes que aumentaram seus quadros em 29,1 mil novos contratados. As contratações pelos pequenos negócios do Comércio também foram bem superiores: quase cinco vezes mais do que as médias e grandes. Foram 39,1 mil contra 8,3 mil.

Assim, no acumulado de 2022, nas MPE, do setor de Serviços, foram as que mais contrataram com 850.781 novos empregos, seguido pela Construção Civil, 274.679, e Comércio com 262.143. Nas MGE, Serviços também lidera com 327.511 novas contratações, seguido pela Indústria de Transformação, 176.161 novas contratações.

Todavia, outro fator que contribuiu foi o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Portanto, este ano de 2022 passou a incluir os MEI na sua nova fase, que teve início em julho, e já viabilizou R$ 27,8 bilhões em operações para pequenos negócios.

As micro e pequenas empresas são a base da economia brasileira e compõem uma fatia de mercado importante para o desenvolvimento econômico local nas cidades.

Fonte: Jornal Contábil .